Sugestão atemporal, ou não!? 2 - Abel Carvalho

Matéria do Dia

Rogério Alves: Especialista em WhatSapp

Rogério Alves, advogado -  Em tempos de Google para tudo e WhatsApp como meio de informação (o fuxico virou notícia) todo mundo virou es...

Portal da Poesia


Portal da Poesia Sem fim

Antes o amor me brindava em cores
Uma
Duas
Três noites de amores
Tom e dom de dissabores
Glória e rito sem valores
Noites
Dias
Um tempo sem fim

Havia
Então
O dia em que vivia
O tempo
A regra
Uma agonia
Valores
Cores do sem fim

Antes
Ontem
Nem te via
Hoje guias
Meu rumo e meu destino
Reclino
Declino e me afasto
Faço lastro
Na riqueza do sem fim

Enfim
no fim te vejo
Te beijo
Te amo
E te desejo
Revejo
Planejo viver contigo
apenas
Um longo dia sem fim.

Abel Carvalho

Sugestão atemporal, ou não!? 2

Share This











O rito carnavalesco reza que no período dessa folia quem manda na cidade é um tal Rei Momo. A figura caricata desse rei é representada por um homem gordo, extrovertido e que, além de ser detentor de grande simpatia também saiba esbanjar e contagiar a todos com alegria. o Rei Momo completa sua corte com uma rainha e exorta os seus súditos a caírem na folia durante todo o período em que ele reina.
manda também a tradição que, na abertura oficial do período de folia, o prefeito do município entregue para o Rei Momo a chave da cidade simbolizando que naquele período Momo é que manda e impera.
Em Bacabal, no carnaval do ano passado, as coisas não aconteceram assim. Talvez pelo curto período para preparar a programação ou, quem sabe, por falta de conhecimento. A festa não teve nem rainha e nem mesmo rei.
O fato provocou essa cena patética que a sequência de fotos acima mostra. o prefeito exibindo e balançando a chave da cidade, a primeira dama aplaudindo, a turma da guimba sorrindo feliz.
Como José Alberto Oliveira Veloso, prefeito de Bacabal, não tinha para quem entregar a bendita chave, a mesma - não vou conjecturar aqui que o fato aconteceu de forma premeditada -, foi parar nas mãos de José Alberto Oliveira Veloso Filho.
também não vou dizer que talvez Veloso, o pai, tenha preferido entregar a chave para Veloso, o filho, por medo de que ela visse a ter o poder de abrir algum cofre ou coisa parecida.
O certo é que, já que o carnaval está bem próximo, aqui fica a minha sugestão para os velosos, pai e filho: que tal fazer um concurso para escolher o Rei Momo e a Rainha do Carnaval de Bacabal?
Outra sugestão: já que resgataram a a desusada Jardineira, brincadeira que remonta os anos 30 do século passado do carnaval bacabalense, que tal também resgatar essas antigas brincadeiras de rua que eu mostro na sequência de fotos abaixo. aí tem o bloco de carnaval das senhoras do bairro Ramal, as primeiras passistas da escola de Samba Estrela do Samba e mais outros blocos do bom carnaval de rua do passado...






Saudade...















Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Bottom Ad