“Sindicato” dos professores do Brejo deseduca e ensina desonestidades - Abel Carvalho

Matéria do Dia

Rogério Alves: Especialista em WhatSapp

Rogério Alves, advogado -  Em tempos de Google para tudo e WhatsApp como meio de informação (o fuxico virou notícia) todo mundo virou es...

Portal da Poesia


Portal da Poesia Sem fim

Antes o amor me brindava em cores
Uma
Duas
Três noites de amores
Tom e dom de dissabores
Glória e rito sem valores
Noites
Dias
Um tempo sem fim

Havia
Então
O dia em que vivia
O tempo
A regra
Uma agonia
Valores
Cores do sem fim

Antes
Ontem
Nem te via
Hoje guias
Meu rumo e meu destino
Reclino
Declino e me afasto
Faço lastro
Na riqueza do sem fim

Enfim
no fim te vejo
Te beijo
Te amo
E te desejo
Revejo
Planejo viver contigo
apenas
Um longo dia sem fim.

Abel Carvalho

“Sindicato” dos professores do Brejo deseduca e ensina desonestidades

Share This


A Presidente do Sindicato dos Professores e Empregados da Educação de Brejo – SINPROEMB, a professora Idenilde Monteiro, não apenas destoa dos princípios básicos de educar, inerente aos professores, como, também, promove práticas consideradas no mínimo desonestas para os padrões legais e até mesmo morais de nossa sociedade. Querem ver?

Agindo na ilegalidade
Dentre as irregularidades denunciadas a este blog, a presidente do “sindicato” nega-se a mostrar como ela gasta os dez mil reais arrecadados todo mês, fruto da contribuição de alguns professores da rede municipal ensino que lá são inscritos. Digo inscritos, pois o tal sindicato é clandestino, considerando que ele não possui a Carta Sindical, documento que legaliza os sindicatos de todo o Brasil.
Vivendo na clandestinidade, a esmagadora maioria dos professores da rede do ensino municipal de Brejo não confia nessa organização e com a resistência da Presidente em mostrar as prestações de contas, criou-se uma névoa de desconfiança sobre esta organização e do destino do dinheiro que sai do salário desses poucos incautos.

Gerenciando com a Máfia
A forma de agir da professora Idenilde Monteiro nos fez, de imediato, recordar um livro clássico da administração exatamente com este nome, Gerenciando com a máfia, lançado no Brasil pela Editora Nobel. Em uma rápida busca nos sites especializados encontramos, dentre outros, o seguinte comentário sobre o famoso livro: “Diferente de outros guias de administração, este livro evita a verborragia teórica e expõe a prática e orientação filosófica da liderança que fundou e dirigiu o "Império silencioso" das máfias durante séculos de expansão e sucesso. Traçando um paralelo com o atual contexto brasileiro não é difícil pensar em como as organizações criminosas em nosso país também estão evoluindo e por que não dizer bebendo na fonte da alta administração mundial. Se pensarmos em como o Comando Vermelho cresceu no Rio de Janeiro na década de 80 e 90 – se organizando dentro dos presídios e expandindo suas teias para fora das grades, chegando a assombrar a todos na cidade maravilhosa - e também o “PCC – Primeiro Comando da Capital” - que até meados dos anos 2.000 não era considerado pelo governo paulista uma ameaça latente e por meio de uma organização eficaz e eficiente – bem estruturada e articulada intelectualmente falando, trouxe pânico a maior cidade da América latina, nos faz pensar na semelhança com a organização proposta no livro escrita pelo personagem “V””.

S de semelhanças
Para não dizerem que este blog está com maldade com o dito “sindicato”, verificamos que existem, sim, semelhanças entre o dito e as máfias. Outro indício encontramos no famoso seriado “Família Soprano” (observem o S aqui novamente), que relata as tramas de uma família mafiosa.

A vida imitando a arte
Para não fugir “das regras” desse tipo de “organização”, este blog levantou que o único bem que a organização presidida pela senhora Idenilde Monteiro possui é um terreno comprado do seu marido, por um preço muito superior ao de mercado. Aliás, o preço de compra do dito terreno é “segredo de Estado” e quem se atreve a perguntar sobre a negociata envolvendo ela e o marido, recebe dela uma verdadeira enxurrada de impropérios e do marido fortes ameaças.

S de suspeito
Outro forte rumor que corre nas ruas da histórica cidade de Brejo é que a presidente da organização denominada de SINPROEMB paga cem ou cento e vinte reais aos funcionários e constar na contabilidade pagamento de um salário mínimo. Será por isso que a prestação de contas do SINPROEMB é “segredo de Estado”?

Os bons companheiros
Para os que não se recordam, este blog pesquisou sobre este clássico do cinema, com o nome original Goodfellas (no Brasil, Os Bons Companheiro) que é um filme americano de 1990 dirigido por Martin Scorses e, e mostra a ascensão e a queda de três gângsters, ao longo de três décadas. O filme é estrelado por Robert De Niro, Ray Liotta e Joe Pesci.
A vida imitando a arte – parte II
Para comprovar que o cinema e a vida real andam praticamente na mesma linha, este blog levantou, também, ser fato que ninguém na cidade de Brejo duvida ser verdade que destinação de uma boa parte do dinheiro arrecadado pela organização SIMPROEMB, serve para engordar as contas bancárias de três professores: Idenilde Monteiro, Pedro Portela e Francisca Querrete, os “bons companheiros” do SINPROEMB.

Por Francisco Lima Junior
Política Real

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Bottom Ad