Matéria do dia

Deputado Carlinhos Florêncio promove visita aos alunos do Programa Negócio Certo Rural no povoado Bom Jesus

O deputado Carlinhos Florêncio com o filho Florêncio Neto, vice-prefeito de Bacabal, acompanhado de vereadores e secretários no povoado B...

Publicidade

6º G.E.A. Kalunã celebra os 100 anos de escotismo no Maranhão

*Por Costa Filho, Escotista
Diretor Administrativo do 6º G.E. Kaluanã

Como parte da “Semana Comemorativa dos 100 anos do Escotismo no Maranhão”, o 6º Grupo Escoteiro Kaluanã, sob orientação da Regional do Maranhão, estará desenvolvendo várias atividades na semana de 22 a 29 de abril em diversos logradouros e ambientes da cidade como ruas, praças, escolas, igrejas, câmara municipal e até no trabalho. As tarefas, apoiadas nos valores e técnicas escoteiras, objetivam a socialização externa do escotismo junto a outros jovens e população em geral, e a consequente divulgação da ideologia de Baden Powell nos 100 anos do escotismo na Terra de Gonçalves Dias.


Banner do Grupo Escoteiro Kaluanã alusivo aos 100 anos do Escotismo no Maranhão.
Como se sabe, o escotismo atua na educação não formal e preconiza valores, cidadania, ética, noções de sobrevivência, formação de caráter, preservação do meio ambiente e valorização da família e dos amigos. Fundado pelo Lord Robert Stephenson Smyth Baden-Powell, em 1907, na Inglaterra, é um movimento mundial, educacional, voluntariado, apartidário, sem fins lucrativos e tem como proposta o desenvolvimento do jovem por meio de um sistema de valores que prioriza a honra, baseado na Promessa e na Lei Escoteira, e, através da prática do trabalho em equipe e da vida ao ar livre, fazer com que o jovem assuma seu próprio crescimento e torne-se um exemplo de fraternidade, lealdade, altruísmo, responsabilidade, respeito e disciplina.

Baseados nesses princípios é que os grupos escoteiros de Bacabal se irmanam com outros grupos do Estado e com a Regional/MA para juntos proporcionarem a alegria, o protagonismo juvenil e a confraternização em atividades lúdicas e valorosas para a vida, levando esta mensagem a outras pessoas, fortalecendo assim a nobre ideologia do escotismo.



Escoteiros do Ar Kaluanã em frente a sede.
UM BREVE MERGULHO NA HISTÓRIA DO ESCOTISMO
Desde sua fundação em 1907 por Baden Powell, tenente-general inglês, o movimento escoteiro tem se expandido a praticamente todos os países, alcançando cerca 40 milhões de adeptos no mundo. No Brasil o movimento aportou em 1910 através de marinheiros brasileiros que, estando na Inglaterra a serviço do Brasil, se impressionaram com o recente movimento, implantando entre nós o Centro de Boys Scouts do Brasil, em 14 de junho de 1910. Ainda em dezembro de 1909, o Tenente da Marinha de Guerra Eduardo Henrique Weaver, havia publicado um longo artigo na revista “Ilustração Brasileira” intitulado “Scouts a Arte de Scrutar”, o primeiro texto brasileiro sobre o assunto, enquanto na Inglaterra, o Suboficial Amélio Azevedo Marques já matriculara seu filho Aurélio Azevedo Marques em um Grupo de Boys Scouts, sendo Aurélio considerado o primeiro escoteiro brasileiro.

ESCOTISMO NA TERRA DAS PALMEIRAS



Banner comemorativo em momentos diversos do Kaluanã.
Em 1917, o movimento chega no Maranhão, figurando como maior incentivador o jornalista, poeta, inspetor de ensino e fundador da Academia Brasileira de Letras Olavo Bilac. Contando com o apoio de intelectuais como poetas, diretores de escolas, professores, políticos e personalidades da sociedade maranhense, entre estes o Comandante Meireles, o escritor , médico e jornalista Raimundo Clarindo Santiago e o professor Antônio Lopes da Cunha, fundador do Instituto Histórico e Geográfico do Maranhão, foi constituída uma comissão com o objetivo de fundar a Associação Maranhense de Escoteiros (AME) e, no dia 20 de maio de 1917, aconteceu a primeira reunião, na sede do Fabril Atletic Club.

ESCOTISMO NA TERRA DAS BACABAS

Escotistas de Bacabal em missão SLZ.

As origens do escotismo em Bacabal remotam do surgimento do Grupo Escoteiro do Ar Santos Dumont, por volta de 1964/65, constando menções ao 15º G. E. São Bernardo, fundado em 20 de agosto de 1965. Possivelmente este grupo seria o mesmo Santos Dumont, que ressurgiria formalmente na década de 1980, agremiando um verdadeiro batalhão de escoteiros na cidade. Entre os nomes da época, o músico Tchacachá (Josimar Miguel Arcanjo de Oliveira), escoteiro na época cita o Frei Hemberto [sic], como incentivador e criador do grupo, cujas reuniões se davam numa casa da Rua Magalhães de Almeida, próximo à Igreja São Francisco, constando ainda dessa época Getúlio Rios Cabral (monitor da Patrulha Pavão), José Ribamar Silva e Airton Lima (Pérola Peças); e da Patrulha Gaivota, José de Ribamar Vidal (monitor), Iran Vidal e Temístocles Clécio. Constam ainda escotistas e escoteiros como o aconselhador Chefe Antônio Pio, o Sr. Hélio Santos, o Sr. Trance, Osimar Oliveira e as bandeirantes Branca e Ana Joaquina. Mais tarde surge outra geração escoteira formada por Carlos Augusto Mendonça (chefe), Lucio Rodrigues Souza (militar), Marysvaldo Lima Bezerra, a apoiadora Dra. Elza Freitas, Eriosmar Vitalino, Paulo Alves, Melquisedeque Morais, Claudenice Bezerra, Salatiel Trindade Sobral, Antônio Oliveira Brito (Júnior Brasil) Antônio Moisés da Silva, Francisco Vitalino Filho, Luciene Matos, entre outros nomes, hoje quase todos engajados em grupos.

Escoteiros do Ar na CIPAN (Confederação de Paraquedismo Norte Nordeste em Bacabal.
Nessa época, o escotismo bacabalense vivenciou um dos períodos mais férteis. Todavia, com o tempo e as circunstâncias, o movimento amornou, ressurgindo anos depois.

Assim, é que em 2013, um grupo de escotistas egressos do G. E. A. Santos Dumont, se reúnem e acham por bem abrir um segundo grupo ativo na cidade, e o fato se dá no Dia Mundial do Escoteiro, em 23 de abril daquele ano, com a fundação do 6º G.E.A. Kaluanã, processo acompanhado pelo representante da Regional/MA e da UEB, o bacabalense Chefe Antônio Pio. O primeiro Diretor-Presidente do grupo, foi o Chefe Carlos Augusto Mendonça, o segundo, o chefe Paulo Alves Pereira Araújo, e em sessão na residência do Chefe Costa Filho, foi conduzido ao cargo para o biênio 2017/2018, em sessão na residência do chefe Costa. Com o novo grupo, se reacende a chama escoteira local e o escotismo ganha novos contornos, entre nós, criando oportunidades à entrada de adeptos mais do lado Sul-Oeste da cidade.


Atualmente o 6º G.E.A. Kaluanã conta com um contingente de 52 associados, funcionado com os Ramos Lobinho, Escoteiro, Sênior e Pioneiro. A atual Diretoria (2017/2018) compõe-se pelo Diretor-Presidente Paulo Alves Pereira de Araújo, Diretor-Administrativo João Batista da Costa Filho, Diretor Financeiro Eriosmar de Vasconcelos Vitalino e Diretor de Métodos Educativos: Melquisedeque da Silva Morais, com Conselho Fiscal formado pelos chefes Carlos Augusto Mendonça, Antônio Oliveira Brito (Júnior Brasil) e Luciene Silva Matos.


*João Batista da Costa Filho 
Fontes: escoteiros do Maranhão, grupos-escoteiros.webnode.com/ma/, Wikipédia, Membros do Kaluanã, Marysvaldo Bezerra, Mestre Tchacatchá