Matéria do dia

Rogério Alves: Vamos salvar o Brasil sem buscar salvadores

Por Rogério Alves Advogado O governo Temer representa o fim (ou a continuidade) do grupo corrupto que governa o Brasil desde 2008 e é preci...

Publicidade

Residencial Terra do Sol, um bairro abandonado.



São quase 03 mil casas construídas, o que projeta uma população aproximada de 15 mil pessoas, O Residencial Terra do Sol seria, então, o bairro mais populoso de Bacabal, mas é aí que que começam os seus problemas em razão do grande número de residencias desocupadas - número ainda impreciso e não calculado -, mas que já soma centenas.

O excessivo número de moradias abandonadas se dá em função dos critérios de distribuição adotados pelo governo federal/Caixa Econômica Federal (CEF) e pela ingerência política praticada nas etapas de cadastro e sorteio, que demandaram a entrega das casas a pessoas que não precisavam delas e, por isso não as ocupam.

O principal efeito nocivo desse fator se reflete na segurança do conjunto habitacional. Parte destas residências estão sendo transformadas em esconderijos para marginais e dependentes químicos.



A esse fator os moradores do Residencial Terra do Sol acrescentam a ausência de um posto fixo da Polícia Militar do Maranhão ou, pelo menos a realização de rondas permanentes e definidas que possam inibir a ação dos marginais e conter o avanço da onda de assaltos a pessoas e de arrombamentos as casas, hoje em número extremamente elevado.

Os problemas do Residencial Terra do Sol se estendem, ainda, ao acesso ao bairro. A Via que liga o residencial a BR-316, a Avenida Dr. Francisco Dias de Sousa, também conhecida como Estrada da Bel Vista, por ser estreita e sem nenhuma tipo de sinalização - principalmente no perímetro entre a entrada da Vila Frei Solano (Mutirão) e o próprio bairro -, é extremamente perigosa.

O acidentes acontecem diariamente, sendo muito deles mutiladores e fatais, e envolvem todos os tipos de veículos. Carroças, bicicletas, motos, carros e caminhões, além dos próprios pedestres, promovem o caos diário no trânsito, principalmente nos horários de pico.



E essa demanda toda se dá sem que a comunidade disponha de uma linha de serviço de transporte público coletivo urbano, outro grande problema que todos vivem, que os transforma e reféns do serviço de mototáxis, principalmente do operadores piratas.

Os moradores do Residencial Terra do Sol vivem o mais completo estado de abandono por parte da administração municipal. A comunidade não dispõe também de postos de saúde e escolas, mesmo existindo áreas destinadas, para a construção do mesmos.



O serviço de coleta do Lixo doméstico acontece, mesmo que de forma precária, duas vezes por semana. Contudo, a prefeitura não executa o serviço de limpeza urbana das ruas e dos demais logradouros públicos como praças e feiras. Em razão disso os grandes espaços estão sendo transformados pelos próprios moradores em grandes lixões a céu aberto. 

A feira livre, ou pequeno mercado, também é uma improvisação dos próprios trabalhadores do setor, sem nenhuma condição de higiene ou de infraestrutura.




A pavimentação asfáltica das ruas do bairro foi bastante prejudicada pela obra de esgotamento sanitário que a prefeitura executa. As vias são cortadas e o capeamento não está sendo recuperado com a colocação de nova camada asfáltica em todas as suas extensões, em muitas dessas vias a empresa está usando apenas a piçarra.

Outro grande problema é a erosão que toma conta de pontos diversos do conjunto habitacional causada pelo excesso de chuvas e pela falta de manutenção de meio-fios e sarjetas. Os moradores reclamam que, quanto a isso, fica um jogo de empurra entre a prefeitura e a empresa que construiu a obra, sem que o grave problema seja resolvido.