Roberto Costa alerta para a violência contra a mulher e quer sociedade mobilizadaRoberto Costa: brado de indignação com o aumento da violência contra a mulher - Abel Carvalho

Matéria do dia

Vereador-presidente da Câmara de Bacabal, Manuel da Concórdia, faz doação de fardamento escolar para alunos do Colégio Cleômenes Falcão

O vereador-presidente da Câmara Municipal de Bacabal, Manuel da Concórdia (Podemos), promoveu a doação de fardamento escolar para dezen...

Roberto Costa alerta para a violência contra a mulher e quer sociedade mobilizadaRoberto Costa: brado de indignação com o aumento da violência contra a mulher

Share This
Roberto Costa: brado de indignação com
o aumento da violência contra a mulher
Assecom deputado Roberto Costa - “Isso é inaceitável. Não podemos aceitar que a cada quatro minutos uma mulher seja violentada no Brasil”. O alerta, feito em tom de indignação, partiu do deputado Roberto Costa (MDB), ao comentar, ontem, na tribuna da Assembleia Legislativa, números do 13º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, segundo os quais a violência contra a mulher vem aumentando no Brasil e, por via de consequência, no Maranhão.
O deputado emedebista classificou de “alarmantes” as informações trazidas à tona pelo Anuário, e defendeu que essa situação seja combatida com rigor e com urgência. Para ele, é absurdo mulheres sejam violentadas por meio de agressões físicas, psicológicas e sexuais. “Não podemos aceitar que esses covardes hajam como se a mulher fosse um objeto pessoal, contra o qual pode-se fazer o que querem. Precisamos valorizar mais as mulheres e lutar para que esses números caiam ou até mesmo desapareçam definitivamente das estatísticas brasileiras”, disse Roberto Costa, propondo concretamente que um dos caminhos para combater a violência é a adoção de políticas públicas com investimentos em favor de toda a rede em defesa e de apoio à mulher.
O parlamentar emedebista, que tem feito do seu mandato uma cruzada em defesa das camadas sociais menos privilegiadas, concluiu seu discurso com uma convocação: “A nossa defesa pelos direitos das mulheres deve ser constante. Não podemos permitir que esses números subam ainda mais. Até porque, quando uma mulher é agredida, toda a sociedade é afrontada e agredida também”.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Bottom Ad