Rogério Alves: Leilão da corrupção. - Abel Carvalho

Matéria do Dia

Decreto proíbe a realização de eventos em Bacabal

  Assecom Bacabal, com, redação de Louremar Fernandes - O Decreto nº 742 da Prefeitura de Bacabal, proíbe a realização de qualquer tipo de ...

Portal da Poesia


Portal da Poesia Poema em primeira pessoa

Estou vivo, ainda.
Tantos já se foram, eu não.
Quantos desafios ainda terei se não morrer?

Perdi pai, irmãos Perdi mãe, Reencontrei amigos, Muitos também se foram.

Eu sigo, estou vivo. Até quando?

Quantos não estão mais aqui...
Quantos dias terei que caminhar...

Estou vivo ainda...
Não sei por quantos dias,
Por quanto tempo caminharei sem destino
Quanto tempo a vida me vagueará...

Quando nós nos conhecemos?
Porque sofremos?
Quantos dias teremos?

A vida é assim...
Quantos dias foram reais...

Às vezes se mira o impossível
A vida é apenas um conjunto de sonhos e quimeras
Nunca
Nunca será a esperada era
O longo caminho que Deus vocifera
A quilha
O limo
A nódoa infante
Não se pode ter sempre o que se quer
E se você não está aqui
Os dias são mais difíceis

Eu, coadjuvante na batalha,
Pereço como tantos que se foram,

Sem contar os dias vacilo em perene devaneio
Ano após ano
Me perco em um passado sem futuro,
Em dias,
Em noites,
Pensamentos obscuros...
Vagueio entre os medos
Que eu mesmo construí

Se escapar, então,
Sei que vou consegui distingui
O Céu do Inferno
Heróis de fantasmas
A vida do fim...

Abel Carvalho

Rogério Alves: Leilão da corrupção.

Share This
Rogério Alves, advogado - Para os analfabetos políticos que pensam que política é só se candidatar para amealhar uns trocados, fica o exemplo dos vereadores de Bacabal. 
São pessoas de bem que, assim que sentam na Câmara de Vereadores, perdem completamente a credibilidade e passam a ser tradadas como peças arrematadas em um leilão de corrupção. Infelizmente a prenda é o povo.
Um desafio importante é começarmos a pensar já em um movimento de retomada de credibilidade do legislativo.
precisamos de pessoas dispostas a romper com a postura de fazer requerimentos inúteis, projetos de título de cidadania por mera bajulação e de trocar nomes de ruas.
Nossa cidade precisa: 
de um plano diretor adequado, 
de um código de obras, 
de uma LOA verdadeira e principalmente, 
de transparência nos gastos públicos tanto do Legislativo como do Executivo.
Fica então o desafio aos nossos futuros vereadores.
Reflexão: Em tempos de promessas vazias, o bom é ouvir quem tem algo a dizer.
Leia mais artigos do advogado Rogério Alves clicando AQUI.

Um comentário:

  1. é bem verdade,mais precisamos acima de tudo de pessoas de carater na vida publica,não adianta também ter um diploma de curso superior e ser um canalha completo,temos o exemplo do aconteceu com o Brasil onde uma presidenta formada em economia quase quebrava o país de fato.

    ResponderExcluir

Post Bottom Ad