Burocracia barra mais candidatos que Lei da Ficha Limpa - Abel Carvalho

Matéria do Dia

Decreto proíbe a realização de eventos em Bacabal

  Assecom Bacabal, com, redação de Louremar Fernandes - O Decreto nº 742 da Prefeitura de Bacabal, proíbe a realização de qualquer tipo de ...

Portal da Poesia


Portal da Poesia Poema em primeira pessoa

Estou vivo, ainda.
Tantos já se foram, eu não.
Quantos desafios ainda terei se não morrer?

Perdi pai, irmãos Perdi mãe, Reencontrei amigos, Muitos também se foram.

Eu sigo, estou vivo. Até quando?

Quantos não estão mais aqui...
Quantos dias terei que caminhar...

Estou vivo ainda...
Não sei por quantos dias,
Por quanto tempo caminharei sem destino
Quanto tempo a vida me vagueará...

Quando nós nos conhecemos?
Porque sofremos?
Quantos dias teremos?

A vida é assim...
Quantos dias foram reais...

Às vezes se mira o impossível
A vida é apenas um conjunto de sonhos e quimeras
Nunca
Nunca será a esperada era
O longo caminho que Deus vocifera
A quilha
O limo
A nódoa infante
Não se pode ter sempre o que se quer
E se você não está aqui
Os dias são mais difíceis

Eu, coadjuvante na batalha,
Pereço como tantos que se foram,

Sem contar os dias vacilo em perene devaneio
Ano após ano
Me perco em um passado sem futuro,
Em dias,
Em noites,
Pensamentos obscuros...
Vagueio entre os medos
Que eu mesmo construí

Se escapar, então,
Sei que vou consegui distingui
O Céu do Inferno
Heróis de fantasmas
A vida do fim...

Abel Carvalho

Burocracia barra mais candidatos que Lei da Ficha Limpa

Share This

É a primeira vez que o TSE disponibiliza as razões de indeferimento dos candidatos

POR FOLHAPRESS

Abuso de poder, condenações, rejeição de contas e outras situações descritas na Lei da Ficha Limpa representaram somente 12,3% dos motivos apontados pela Justiça Eleitoral para rejeitar candidatos a prefeito e a vereador nestas eleições.

A grande maioria dos candidatos é barrada, na verdade, por razões simples e burocráticas, como falta de documentos e não ter prestado contas de campanhas anteriores. A ausência de requisitos para o registro de candidatura aparece em 71,6% dos casos.
O indeferimento de partido ou coligação, por sua vez, equivale a 10,5% das justificativas para recusar um candidato, segundo levantamento feito pela Folha de S.Paulo com base em dados do TSE (Tribunal Superior Eleitoral).
Em 2,3% dos casos, o candidato foi barrado por não ter ou não comprovar domicílio eleitoral ou filiação partidária pelo período mínimo exigido.
É a primeira vez que o TSE disponibiliza as razões de indeferimento dos candidatos. Os dados são atualizados diariamente conforme as candidaturas tramitam na Justiça.
As informações são preenchidas diretamente pelos cartórios eleitorais e, portanto, podem carregar imprecisões.
Segundo o TSE, 14.121 candidatos tiveram seu pedido de candidatura indeferido até o momento -2,84% do total. Outros 5.369 recorreram da rejeição e aguardam julgamento em instâncias superiores da Justiça Eleitoral.
Esses candidatos, porém, podem concorrer normalmente enquanto aguardam a decisão final. Após a realização do primeiro turno, o TSE apontou que 145 candidatos mais votados para prefeito estavam nessa situação.
Como essas cidades não têm segundo turno, caso tenham o indeferimento confirmado, tais candidatos não poderão assumir as prefeituras e haverá novas eleições.
É o que deve ocorrer em Salto do Jacuí (RS). Na última quinta-feira (27), o plenário do TSE negou o recurso do candidato mais votado.
FICHA SUJA
Para o advogado eleitoral Rodrigo Pedreira, embora as situações de "ficha suja" não sejam maioria, elas são relevantes. "O número absoluto [mais de 2.800 casos] é muito significativo."
As ocorrências relacionadas à Ficha Limpa são prioridade no Ministério Público, segundo o procurador regional eleitoral em São Paulo, Luiz Carlos dos Santos Gonçalves.
"A lei está cumprindo um papel extraordinário. Ela desestimula que fichas sujas se candidatem e, mesmo quando se candidatam, apesar dessa nova cultura que se forma, eles são de fato barrados", afirma.Gonçalves aponta que, em eleições anteriores, o número de vetados pela Ficha
Limpa era maior. "Agora, esse pessoal nem tenta mais. Sabe que não tem jeitinho ou conversa."
Pedreira, no entanto, diz que a Ficha Limpa tutela demais o eleitor em alguns casos. "A lei impede que uma pessoa seja sufragada pelos eleitores. É preciso verificar se os motivos para ficar de fora da disputa são realmente graves", afirma.
BUROCRACIA
Falta de documentos, como certidão criminal, idade não compatível e perda de prazos configuram falta de requisitos para o registro da candidatura.
Tais questões burocráticas são mais numerosas entre as razões que tiram um candidato da corrida. Para os especialistas ouvidos pela Folha, essa situação é corriqueira.
"A lei exige uma série de requisitos e nem sempre as pessoas se preparam a tempo", diz Gonçalves. "A candidatura exige planejamento e as pessoas deixam para a última hora."
"No interior, a realidade é diversa dos grandes centros", afirma Pedreira. "É preciso ter um certo conhecimento de tecnologia para expedir certidões, digitalizar documentos e acompanhar os prazos pela internet." Com informações da Folhapress.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Bottom Ad