Janeiro fecha com Superlua, Lua Azul e Lua de Sangue em uma só noite - Abel Carvalho

Matéria do Dia

Rogério Alves: Especialista em WhatSapp

Rogério Alves, advogado -  Em tempos de Google para tudo e WhatsApp como meio de informação (o fuxico virou notícia) todo mundo virou es...

Portal da Poesia


Portal da Poesia Sem fim

Antes o amor me brindava em cores
Uma
Duas
Três noites de amores
Tom e dom de dissabores
Glória e rito sem valores
Noites
Dias
Um tempo sem fim

Havia
Então
O dia em que vivia
O tempo
A regra
Uma agonia
Valores
Cores do sem fim

Antes
Ontem
Nem te via
Hoje guias
Meu rumo e meu destino
Reclino
Declino e me afasto
Faço lastro
Na riqueza do sem fim

Enfim
no fim te vejo
Te beijo
Te amo
E te desejo
Revejo
Planejo viver contigo
apenas
Um longo dia sem fim.

Abel Carvalho

Janeiro fecha com Superlua, Lua Azul e Lua de Sangue em uma só noite

Share This
Laboratório Ilha da Ciência promove a observação em São José de Ribamar

IMIRANTE.COM, COM INFORMAÇÕES DA ASSESSORIA



Lua de Sangue (Foto: Divulgação)

SÃO JOSÉ DE RIBAMAR – O dia 31 de janeiro será marcado pela ocorrência simultânea de três fenômenos lunares: a Superlua, a Lua Azul e Lua de Sangue. Cumprindo o propósito de aproximar a comunidade da ciência, o laboratório Ilha da Ciência, da Universidade Federal do Maranhão, promoverá, em parceria com a Secretária Municipal de Cultura de São José de Ribamar, uma observação participativa no município.

A Superlua ocorre quando a Lua, na fase cheia, fica mais próxima da Terra, é o elemento conhecido por perigeu. A Terra então se alinha com a Lua e o Sol em um mesmo plano. Esse fenômeno, explica o professor Antônio Oliveira, coordenador do Ilha da Ciência, faz com que aparentemente, no horizonte, a Lua fique maior e mais brilhante do que em dias comuns.


Depois, vem a Lua Vermelha, ainda em consequência do alinhamento dos astros, de forma que o globo terrestre fica exatamente entre a Lua e o Sol. O tom que a caracteriza vem da sombra que a Terra projeta no satélite natural.

A Lua Azul, na verdade, não é um fenômeno. Quando ocorrem duas luas cheias no mesmo mês, a segunda recebe o nome de Blue Moon ou Lua Azul. A principal causa para ocorrência é a diferença entre o calendário gregoriano e o calendário lunar, que resulta no fenômeno a cada dois anos.


O professor esclarece que a Lua de Sangue não será visível no Brasil, tampouco na América Latina, mas ressalta sua excentricidade. “A combinação dessas três Luas é rara, só ocorrerá novamente daqui a 150 anos. Esperamos através dela atrair o público ribamarense e tornar a ciência um bem popular”, declarou.
O “Ribamar, olhe para o céu”, ocorrerá no dia 31 de janeiro, a partir das 18h, no cais do porto, em frente da igreja (ao lado do parquinho).


O evento disponibilizará telescópios, além do suporte da equipe do laboratório Ilha da Ciência para observação de dois dos três fenômenos mencionados. Entrada franca.

Veja outros fenômenos previstos para 2018:

Eclipse parcial do Sol – 15 de fevereiro
Chuva de meteoros Líridas – 22 de abril
Superlua – 13 de julho
Chuva de meteoros Delta Aquáridas – 28 de julho
Superlua – 11 de agosto
Chuva de meteoros Perseidas – 12 de agosto
Eclipse total da Lua – 27 de julho
Chuva de meteoros Orônidas – 23 de outubro
Chuva de meteoros Leônidas – 17 de novembro
Chuva de meteoros Geminidas – 13 de dezembro

SAIBA MAIS
Observatório Astronômico da Uema abre espaço para a comunidade#SuperLuaImirante: confira as melhores imagens selecionadasParticipe da #SuperLuaImirante e nos envie suas fotosSaiba como observar o fenômeno da "Superlua" neste sábado (29)Fenômeno da ''Superlua'' ocorre neste sábado (29)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Bottom Ad