Vereador Alex Abreu pede a suspensão da cobrança das contas de água e da taxa de iluminação pública e quer a transformação das emendas impositivas do legislativo em recursos para o combate a Covid-19 - Abel Carvalho

Matéria do Dia

Lourival Souza: Denúncia - vítimas de trânsito não estão recebendo indenizações do DPVAT.

Conforme a Susep, eventuais atrasos nos pagamentos das indenizações do DPVAT 2021, pela Caixa Econômica Federal, estão em fase de apuração. ...

Portal da Poesia


Portal da Poesia ...

Porque tudo morre?
Porque existe a morte.
Porque existe a morte?
A morte não existe,
A morte é o fim.
A morte é o mais pleno,
Absurdo e absoluto
Poder da ausência.

Abel Carvalho

Vereador Alex Abreu pede a suspensão da cobrança das contas de água e da taxa de iluminação pública e quer a transformação das emendas impositivas do legislativo em recursos para o combate a Covid-19

Share This
Assecom Câmara, com redação de Abel Carvalho e fotos de Wanderson Ricardo - A câmara de Bacabal aprovou, durante realização de sua sessão ordinária semanal, proposta do vereador Alex Abreu (Republicanos), em forma de Requerimento, solicitando do prefeito Edvan Brandão de Farias (PDT), a imediata suspensão do pagamento dos tributos municipais, a suspensão do pagamento das contas de água e a isenção do pagamento da taxa de iluminação pública, assim como de outras taxas, para as famílias de baixa renda hoje afetadas duramente pela pandemia da Covid-19.
Alex Abreu argumenta que a suspensão do pagamento dos tributos municipais, a suspensão do pagamento das contas de água e a isenção do pagamento da taxa de iluminação pública, assim como de outras taxas, para famílias de baixa renda, tem como meta auxiliar os trabalhadores e garantir a subsistência da população durante a pandemia de Coronavírus, que segundo os especialistas em saúde pública, ainda se alongará por todo esse ano, talvez, até os próximos dois anos, sendo muito difícil para todos o retorno a vida normal.
Argumenta ainda que a execução da proposta, com a suspensão do pagamento de impostos como o IPTU e taxas de alvará, além de outras, não caracteriza renúncia fiscal e, que a mesma pode evitar o fechamento de empresas e a demissão de trabalhadores nosso Município.
Explica que, com relação às contas de água e a taxa de luz, a ideia é isentar do pagamento as famílias de baixa renda, já identificadas pela prefeitura por meio dos programas de assistência social aferidos pelas esferas federal, estadual e municipal.

Emendas para combater a Covid-19
Na mesma sessão o parlamentar Republicano requereu, da Mesa Diretora, que seja enviado Ofício ao prefeito Edvan Brandão de Farias, solicitando a imediata liberação das Emendas Impositivas as quais este Poder Legislativo tem por direito, referentes aos exercícios orçamentários e financeiros dos anos de 2019 e 2020, dois últimos anos da Legislatura 2016/2020, no valor de R$ 4.435.708,00 (quatro milhões quatrocentos e trinta e cinco mil setecentos e oito reais), para serem aplicados, diretamente, na compra de insumos, como Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s) – destinados aos trabalhadores da rede pública municipal de saúde; na compra de vacinas contra o Coronavírus, destinadas a aplicação e imunização dos nossos concidadãos, e, na compra de cestas básicas para ser distribuída entre os integrantes das faixas de pessoas mais carentes da comunidade bacabalense, com o objeto de anemizar a grave situação hoje provocada pela Pandemia provocada pela Covid-19.
Abreu mostrou que cada um dos integrantes do Poder Legislativo tem o direito legal ao uso de R$ 130.462,00 (cento e trinta mil quatrocentos e sessenta e dois reais), a título de Emenda Impositiva. Mostrou também que esse dispositivo, constitucional, foi instituído pela Casa seguindo a todos os ditames e regras estabelecidas dentro do rol processual, com a aprovação da devida Lei e as referidas alterações na Lei Orgânica do Município e da Lei de Diretrizes Orçamentárias referente ao exercício dos anos de 2019 e 2020, e que, de forma estranha e de maneira inexplicável, nos dois anos supramencionados a verba não foi liberada ou aplicada pelo Poder Executivo, o que caracteriza crime de improbidade por parte do gestor municipal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Bottom Ad