Matéria do dia

Rogério Alves: Somos a Porta da Justiça.

Rogério Alves Advogado Com a indefinição do entra e sai de Zé Vieira da prefeitura fiquei aguardando os acontecimentos para me manifes...

Publicidade

Disputa pelo Senado se resume a sete pré-candidatos no Maranhão


Apesar de ainda não ter definido os caminhos a seguir, grupo da ex-governadora Roseana Sarney reúne o maior número de interessados, todos com trajetória já consolidada

Candidato a senador, Sarney Filho tem nome consolidado. (Foto: Arquivo)

Faltando pouco mais de um ano para as convenções que irão definir os candidatos às eleições de 2018, já são sete os pré-candidatos às duas vagas de senador pelo Maranhão. São cinco interessados no grupo da ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) e três postulantes na órbita do governo Flávio Dino (PCdoB).

E além do diferencial numérico, a lista do grupo roseanista tem como diferencial adicional em relação aos nomes postos pelos aliados do governo comunista a trajetória consolidada de seus pré-candidatos.

A começar pelo ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho (PV), os aliados de Roseana interessados na vaga de senador têm também os atuais ocupantes do posto, Edson Lobão e João Alberto (ambos do PMDB), e o também ex-ministro Gastão Vieira (Pros), embora este último se porte hoje como alguém mais independente.

O histórico dos quatro pré-candidatos tem forte peso no tabuleiro político. Com quase dez mandatos de deputado federal, Sarney Filho, por exemplo, já é ministro pela segunda vez. Foi ministro do Meio Ambiente também no governo Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e é uma das maiores referências no setor ambiental no mundo.

Gastão Vieira também foi ministro (do Turismo, no governo Dilma) além de várias vezes secretário de estado e com vários mandatos de deputado federal. Em 2014, ele foi candidato a senador.

Os dois atuais ocupantes da vaga no Senado têm cacife também consolidado; Lobão foi ministro de Minas e Energia, vice-presidente do Senado e governador do Maranhão. João Alberto, além do Governo do Estado, comandou a Prefeitura de Bacabal, foi vice-governador, deputado federal, secretário de estado e está no segundo mandato de senado.

Dos outros três nomes - que representam o grupo de Flávio Dino na disputa – apenas José Reinaldo Tavares tem lastro político histórico. Ele foi deputado federal, ministro dos Transportes, vice-governador e governador do Maranhão.

Deputados federais, Weverton Rocha (PDT) e Waldir Maranhão (PP) estão em início de carreira política. E trazem como diferencial a ousadia política, de se colocar entre os postulantes ao cargo de senador. E já mobilizam prefeitos no interior para seu projeto.

Mais
Cada grupo que entrar na disputa de 2018 com candidato a governador poderá apresentar até dois nomes para a disputa do Senado. E é dentro dessa gama de possibilidades que podem surgir outras possibilidades ao eleitor. Daí é que surgem nomes como o do ex-juiz Márlon Reis (Rede); do prefeito de Santa Rita, Hilton Gonçalo (PDT); do ex-prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira (PSDB) e da deputada federal Eliziane Gama (PPS). Todos estes nomes, no entanto, mostram-se ainda incipientes ao eleitor. Sem falar nos chamados partido da ultra-esquerda (PSTU, PCB, PSOL), que devem lançar seus candidatos à disputa. Mesmo sem chance alguma de vitória.