Matéria do dia

Rogério Alves: Vamos salvar o Brasil sem buscar salvadores

Por Rogério Alves Advogado O governo Temer representa o fim (ou a continuidade) do grupo corrupto que governa o Brasil desde 2008 e é preci...

Publicidade

Lourival Souza: A redução de velocidade em algumas vias de Fortaleza


Tem a missão de iniciar uma nova fase no trânsito, colocando o pedestre no foco das ações, proporcionando mais segurança


Bairro Rodolfo Teófilo recebeu, em 2016, a primeira área de trânsito calmo de Fortaleza/TATIANA FORTES

Fortaleza receberá uma série de estratégias para a mobilidade. Ir e vir com segurança, esse é o foco. Para isso, a redução dos limites de velocidade é um dos principais aliados. A expectativa é de que a mudança tenha efeito direto na diminuição dos acidentes, que no primeiro semestre de 2016 somaram 126 mortes. No O POVO, o projeto Movimento Urbano vai acompanhar as intervenções e orientar sobre seus benefícios para a Cidade.


“Com um carro a 40km/h, o risco de morte de um pedestre atropelado é de 5%. Com o veículo a 60km/h, esse risco sobe para 98%”, afirmou o gerente técnico do Observatório de Segurança Viária, Renato Campestrini. A Organização Mundial de Saúde (OMS) estabelece a marca de 50km/h para que as mortes no trânsito tenham arrefecimento. “A cada quatro mortes no mundo, uma está relacionada a velocidade”, frisou.

Ele cita que boas práticas mundo afora demonstram que velocidade baixa em vias coletoras e de fluxo local não gera engarrafamentos. “Em São Paulo, enquanto estava valendo a redução, o trânsito fluía normalmente. Enquanto está todo mundo numa velocidade mais estável, o fluxo não para, é constante”, disse.


As ações na Capital têm como base exemplos de cidades europeias. “Temos deficiências enormes em Fortaleza, como as calçadas. Às vezes não conseguimos fazer o ideal, mas avançamos na pauta. Exemplo são as travessias elevadas”, destacou o secretário-executivo da Conservação e dos Serviços Públicos, Luis Alberto Saboia. A pasta atua em parceria com a Iniciativa Bloomberg para Segurança Viária.


No Rodolfo Teófilo, em 2016, foi inaugurada uma área de trânsito calmo, será replicada na Cidade 2000 e Vila União. Além da travessia elevada, são implementados prolongamentos de calçada e painel eletrônico educativo.
Este mês é chamado de Maio Amarelo e ações serão desenvolvidas para oferecer melhor infraestrutura e garantias principalmente para ciclistas e pedestres, os mais frágeis do trânsito. Neste ritmo, O POVO realiza o projeto Movimento Urbano. O primeiro de oito cadernos especiais será publicado nesta quarta, 17, com entrevistas, dados e análises sobre a convivência entre modais e pedestre. Reportagens especiais também farão parte das edições diárias do Cotidiano.


A campanha de comunicação encampada pelo O POVO contará com ações de conscientização nas ruas, como a realizada no cruzamento das avenidas Carapinima e 13 de Maio, semana passada. Outras oito ainda ocorrerão até junho. Um canal especial no O POVO Online abrigará informações sobre mobilidade e segurança viária. Além de dois debates na TV O POVO, transmitidos simultaneamente pela Rádio O POVO CBN.Fonte: www.onsv.org.br

CÓDIGO DE TRÂNSITO BRASILEIRO (Lei 9.503/1997)

Art. 227. Usar buzina:
I - em situação que não a de simples toque breve como advertência ao pedestre ou a condutores de outros veículos; II - prolongada e sucessivamente a qualquer pretexto; III - entre as vinte e duas e as seis horas; IV - em locais e horários proibidos pela sinalização; V - em desacordo com os padrões e freqüências estabelecidas pelo CONTRAN:
Infração - leve; Penalidade - multa.


MAIS DE 200 MIL FERIDOS GRAVES NO TRÂNSITO NO BRASIL EM 2015


A curva "DATASUS" representa o número de pessoas que foram internadas em hospital em decorrência de acidentes de trânsito.
A curva "DPVAT" representa o número de pessoas que foram indenizadas por invalidez permanente cada ano. Isto não corresponde ao número de lesões ocorridas no ano, pois certos processos de indenização podem levar vários anos. A grande diferência entre as ordens de grandeza dos números de indenizações antes e depois 2007 pode se dever a uma maior facilidade de acesso ao seguro a partir daquele ano. Fonte: http://www.vias-seguras.com



Por Lourival Souza

Facebook: Campanha SOS VIDA
Instagram: @campanhasosvida
E-mail: valorizacaoaavida@gmail.comFones: (98)98114-3707
(TIM)/98891-1931(OI)
99202-1431(VIVO)
98423-0606(CLARO)