Matéria do dia

Deu no Blog do Vanilson Rabelo: prefeitura não compra remédios para os postos de saúde e não paga professores em Bacabal

BACABAL: População sofre com a falta de medicamentos em postos de saúde do município Que precisa dos remédios e de outros produtos, qu...

Publicidade

SAAE de Bacabal adquire balsa para adaptação de bomba anfíbia

Início da montagem da balsa para adaptação da bomba anfíbia.
Logo assim que assumiu o comando do município o prefeito José Vieira formou sua equipe de governo e atribuiu à cada um dos integrantes que fizesse um minucioso levantamento de cada área e, o abastecimento d’água, foi uma delas.

O nomeado para a direção do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) Ramón Braga que, com a colaboração de técnicos da autarquia, passou a colocar em prática um plano de reestruturação do sistema, e, logo nos primeiros dias de gestão, descobriu que calcanhar de aquiles do SAAE era a sua estação de captação, em razão do estado de depreciação.

Com mais de 40 anos de uso, e sofrendo com a erosão, a estação de captação que fica localizada à margem do Rio Mearim, na curva do anu, por pouco não desceu por água abaixo, no inicio da gestão Ramón Braga, quando em plena terça-feira de carnaval, dia 28 de fevereiro desse ano, cabos de aços improvisados para evitar que a estrutura caia se romperam durante a madrugada, obrigando o desligamento do sistema de abastecimento durante todo o dia.

Ramon Braga acompanhou todo o processo de perto e atribuiu a difícil situação a negligência dos seus antecessores. Contudo, ele mesmo frisou que o problema havia sido resolvido apenas provisoriamente, explicando que o mesmo só será resolvido definitivamente com a compra de uma balsa anfíbia, o que, segundo Ramon, foi comunicado imediatamente ao prefeito de Bacabal, José Vieira.

Equipe do SAAE trabalhando para recuperar os cabos que sustentam a torre.
Em menos de 120 dias o compromisso começa a se transformar em realidade, com a chegada e início da montagem da balsa para adaptação para a bomba anfíbia, que proporcionará trabalhar com aproveitamento máximo do volume acumulado, reduzindo o volume morto.

De acordo com a equipe técnica responsável pela instalação o prazo para o equipamento entrar em operação é de 60 dias, ressaltando que o antigo sistema continuará em operação, sem causar transtornos para a população.

Do Blog do Sérgio Mathias, com edição