Deputado João Marcelo Souza preside Audiência de Comissão que aumenta o gasto com pessoal na área da saúde - Abel Carvalho

Matéria do Dia

Rogério Alves: Especialista em WhatSapp

Rogério Alves, advogado -  Em tempos de Google para tudo e WhatsApp como meio de informação (o fuxico virou notícia) todo mundo virou es...

Portal da Poesia


Portal da Poesia Sem fim

Antes o amor me brindava em cores
Uma
Duas
Três noites de amores
Tom e dom de dissabores
Glória e rito sem valores
Noites
Dias
Um tempo sem fim

Havia
Então
O dia em que vivia
O tempo
A regra
Uma agonia
Valores
Cores do sem fim

Antes
Ontem
Nem te via
Hoje guias
Meu rumo e meu destino
Reclino
Declino e me afasto
Faço lastro
Na riqueza do sem fim

Enfim
no fim te vejo
Te beijo
Te amo
E te desejo
Revejo
Planejo viver contigo
apenas
Um longo dia sem fim.

Abel Carvalho

Deputado João Marcelo Souza preside Audiência de Comissão que aumenta o gasto com pessoal na área da saúde

Share This

Presidida pelo Deputado Federal João Marcelo Souza (PMDB/BA), a Comissão Especial destinada a proferir parecer ao Projeto de Lei Complementar N.º 251 de 2008, que aumenta o gasto com pessoal na área da saúde, realizou na manhã desta quinta feira (28), audiência pública onde estiveram presentes o Vice Presidente da União dos Municípios da Bahia – UPB, Sr. José Bonifácio Dourado, Sr. Ronaldo Nascimento de Sant’Anna, representante do Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia e o Sr. Joaquim Galvão, Contador da Empresa JG Contabilidade Pública.
O Vice-Presidente da UPB falou da importância do projeto que atinge o Brasil como um todo. Relatou, também, as dificuldades enfrentadas pelas prefeituras principalmente com falta de repasse dos recursos para os municípios.
Para o representante do Tribunal de Contas dos Municípios do estado da Bahia, a Lei de Responsabilidade Fiscal tem papel fundamental na fiscalização dos municípios. Ele defende que em alguns pontos a lei não pode ser tão uniforme. “Alguns pontos da Lei de Responsabilidade colocam como iguais São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Remanso, Serra Sé, Pilão Arcado e Sobradinho”, disse Ronaldo.
Segundo Joaquim Galvão a maioria das prefeituras da Bahia vão ter suas contas de 2014 rejeitadas. Galvão admite que a lei foi um instrumento importante para disciplinar questões administrativas, porém com programas criados pela União como o Fundeb as prefeituras acabam gastando mais, pois os recursos recebidos pelos municípios não pagam os programas e com isso, o município acaba tendo que complementar ultrapassando assim o limite permitido em lei.
O deputado João Marcelo disse que no Maranhão as prefeituras encontram-se na mesma situação, estão estranguladas e com dificuldades em terem suas contas aprovadas.

Agência Câmara

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Bottom Ad