Nos 101 anos da história de Bacabal Zé Lopes homenageia Dió - Abel Carvalho

Matéria do Dia

Em Bacabal trabalhadores da educação começaram a ser vacinados hoje, 20 de abril

Assecom Bacabal, com redação de Louremar Fernandes e fotos de Melquisedeque Morais - A Prefeitura de Bacabal começou hoje a vacinação dos t...

Portal da Poesia


Portal da Poesia ...

Porque tudo morre?
Porque existe a morte.
Porque existe a morte?
A morte não existe,
A morte é o fim.
A morte é o mais pleno,
Absurdo e absoluto
Poder da ausência.

Abel Carvalho

Nos 101 anos da história de Bacabal Zé Lopes homenageia Dió

Share This

Quando o Brasil acordou para a música de duplo sentido com Zenilton, Sandro Becker, Genival Lacerda, dentre outros, Dió já havia descoberto esse filão com os sucessos “O calango da menina”, “Sapo sem embreagem”, “ O pezinho da mulata”, “Eu soco no teu pilão” e outras canções que caíram na graça do povo.
Sempre de bom humor, Dió foi o fundador do Grupo os Três de Ouro, com mais Zé Cabeludo e Expedito, esse último, seu irmão. Compositor de um gênero, que além de dançante, faz rir, Dio também movimentou o carnaval de Bacabal com o seu bloco “Dió na Banda da Bunda”, onde saía pelas ruas da cidade com o seu trio elétrico montado em cima de um Fiat 147 e a bagaceira tomando cachaça e cantando atrás “...botei uma camisa encarnada, bermuda no meio da canela, entrei na Banda da Bunda, e fui pra avenida com ela”. Continue a leitura clicando AQUI.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Bottom Ad